Konradstrasse 1  Winterthur 8400 - Suíça

Blog da ABEC

Letramento e Língua de Herança

 

Continuando a nossa série de palestras, acontecerá no próximo sábado dia 17 a palestra sobre Letramento, ministrada pela professora da ABEC Claudina Isele. Para maiores informações, acesse a página Eventos. Claudina gentilmente escreveu o texto a seguir para termos uma visão geral do tema em questão. Compareçam!
 

 

Letramento e Língua de Herança

 

“... Aprender a ler, a escrever, alfabetizar-se é, antes de mais nada, aprender a
ler o mundo, compreender o seu contexto, não numa manipulação mecânica de palavras, mas numa relação dinâmica que vincula linguagem e realidade.”

Paulo Freire


“Letrar é mais que alfabetizar, é ensinar a ler e escrever dentro de um contexto
onde a escrita e a leitura tenham sentido e façam parte da vida do aluno.”
Magda Becker Soares


A exigência da língua escrita no mundo atual é praticamente condição de sobrevivência e não somente uma meta de conhecimento, como acontecia nos séculos passados. Na complexidade da sociedade, há variadas formas de uso da escrita, que são dominadas para que se possa atuar nos diferentes contextos. As crianças que participam dos cursos de Língua e Cultura de Herança – HSK (Heimatliche Sprache und Kultur) pela ABEC, também têm diferentes necessidades em relação às línguas, pois estão num universo plurilingue, ou seja, experimentam uma multiplicidade de línguas que convivem simultaneamente na Suíça.

 

Há pessoas alfabetizadas que não dominam os usos da leitura e da escrita, no entanto aprenderam a ler e a escrever. Esse fenômeno passou a ser considerado em diversas abordagens com o nome de letramento. Foi identificado em vários países e a partir dos anos 90, ganhou especial destaque nos meios acadêmicos assim como em projetos educacionais. No Brasil, há 80 anos conforme o Censo, uma pessoa era considerada alfabetizada quando sabia escrever o próprio nome.

 

« [...] um indivíduo alfabetizado não é necessariamente um indivíduo letrado; alfabetizado é aquele indivíduo que sabe ler e escrever, já o indivíduo letrado, indivíduo que vive em estado de letramento, é não só aquele que sabe ler e escrever, mas aquele que usa socialmente a leitura e a escrita, pratica a leitura e a escrita, responde adequadamente às demandas sociais de leitura e de escrita. » (SOARES 1998)


Além das condições familiares, sociais e ideológicas, nossos alunos são geralmente alfabetizados em alemão, convivem com o dialeto, com a língua de herança, nesse caso, o Português. Estão habituados a escutar outras línguas nas escolas, com os colegas e mesmo no ambiente doméstico. Tudo isso faz parte da bagagem das crianças que estão em diferentes graus de letramento e são nossos alunos na ABEC.

 

Magda Soares propõe-se o uso do plural « letramentos para enfatizar a ideia de que diferentes tecnologias de escrita geram diferentes estados ou condições naqueles que fazem uso dessas tecnologias, em suas práticas de leitura e de escrita: diferentes espaços de escrita e diferentes mecanismos de produção, reprodução e difusão da escrita resultam em diferentes letramentos. » (SOARES, 2002)

 

O letramento é um processo ao longo da escolarização, envolve a apropriação das habilidades de ler e escrever para atender devidamente as necessidades de comunicação da vida cotidiana. Ou ainda, o letramento como um processo ao longo da vida, tendo em consideração as diversas abordagens de letramento, nas dimensões pedagógicas, politicas, digitais, culturais e linguísticas. Articular as funções da língua de herança com o prazer de ler o mundo fazem parte de nossas aulas.

 

Ampliaremos as questões sobre o letramento e sobre a aprendizagem da língua de herança, nos cursos de HSK da ABEC, dia 17 de março de 2018, no Cebrac, em Zurique.

 

 

Referências bibliográficas


FREIRE, Paulo. A importância do ato de Ler: em três artigos que se completam. 46. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

KLEIMAN, Angela B., Os Significados do Letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas, SP: Mercado das Letras, 1995. São Paulo, Contexto, 2008.

 

_________. Angela B., Preciso ensinar Letramento? Não basta ensinar a ler e a escrever?Cefiel/ IEL/ Unicamp, 2005-2010.

 

SOARES, Magda, Letramento e alfabetização: as muitas facetas, 2003.Universidade Federal de Minas Gerais, Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita.

 

_________. Magda, Letramento: Um tema em três gêneros/ Magda Soares, Belo Horizonte: Autêntica, 1998, 12

 

__________. Magda, Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br

 

Claudina Fialho Isele é Licenciada em Letras, com especialização em Linguagem Escrita e Escola pela PUC-SP, Mestre em Língua e Literatura pela Universidade de São Paulo – USP, Professora do HSK na ABEC, Professora do IB na ZIS e de Português em escolas de língua em Zurique. E-mail: claudina@abec.ch

 

Foto: arquivo pessoal da autora.